Encontro Regional Baixada Santista Litoral Sustentavel (8)

Seminário discute desenvolvimento com inclusão social

Os recentes problemas que a região tem apresentado nos últimos meses, como os fortes alagamentos das chuvas que deixaram centenas de desabrigados em Cubatão, além do trânsito caótico na entrada de Santos e na Rodovia Cônego Domenico Rangoni (Guarujá) apontam a necessidade urgente de se criar um projeto de sustentabilidade local.

Para discutir o assunto, o Instituto Pólis deu início à segunda fase do Projeto Litoral Sustentável – Desenvolvimento com Inclusão Social, com a realização do Seminário Temático da Baixada Santista, nos últimos dias 10 e 11de abril, na Faculdade de Educação Física da Universidade Metropolitana de Santos (Fefis/Unimes).

O encontro, que durante os dois dias contou com cerca de 150 pessoas entre moradores da região, representantes do poder público e organizações da sociedade, ofereceu uma série de debates, oficinas e grupos de trabalho com o intuito de discutir propostas que visam o desenvolvimento de forma equilibrada e com qualidade de vida para todos os municípios que integram as regiões da Baixada Santista e Litoral Norte (Bertioga, Guarujá, Santos, São Vicente, Cubatão, Praia Grande, Mongaguá, Itanhaém, Peruíbe, Ubatuba, Caraguatatuba, São Sebastião e Ilhabela).

Participaram do seminário órgãos como Agem (Agência Metropolitana da Baixada Santista), Fórum da Cidadania de Santos, Petrobras e Agenda 21 do Guarujá. Representantes dos governos federais e estaduais integraram as mesas debatedoras: a jornalista Dorian Vaz, da Secretaria Geral da Presidência da República, o diretor do centro de Zoneamento

Ambiental, da Secretaria Estadual do Meio Ambiente, Luís Roberto Oliveira, e a advogada Ana Lúcia Rodrigues de Carvalho, da Emplasa (Empresa Paulista de Planejamento Metropolitano).

Elas debateram o tema “Competências e políticas públicas federais e estaduais no desenvolvimento regional”. Dorian falou sobre os “Objetivos de Desenvolvimento do Milênio – ODM”, proposta feita pela Organização das Nações Unidas, que em 2000 listou oito compromissos concretos e fundamentais para melhorar as condições de vida da população mundial. Outro tema abordado no seminário foi “Desenvolvimento com inclusão social no Litoral Norte”. Na ocasião, o economista da FGV-SP Amir Khair falou sobre as questões econômicas e fiscais e como elas podem impactar o crescimento de cada região.

Ele também ressaltou que inclusão social é tarefa do governo, que deve destinar recursos para tal fim. “Inclusão social significa redução de custos essenciais na vida da população, tais como habitação, transporte e alimentação.”

Fonte: jornal Boqueirão News

Link: http://boqnews.com/ultimas_texto2.php?cod=16326

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *