IBESPE faz estudo de endividamento da Baixada Santista e Litoral Norte

O índice mostrou que os moradores que residem próximo à divisa com o estado do Rio de Janeiro mostraram que são mais controlados financeiramente com 72% sem dívidas, seguido pelo Vale com 68%. Já a Baixada Santista fecha com a maioria, 56% com contas atrasadas

Com a proposta de ampliar a abrangência de estudos em outras regiões no Estado de São Paulo, o IBESPE (Instituto Brasileiro de Estudos Sociais, Política e Estatística) realizou um estudo econômico para verificar qual o nível de endividamento dos moradores da RMBS (Região Metropolitana da Baixada Santista), Vale do Ribeira e Litoral Norte. Foram entrevistadas 2.206 pessoas residentes em 25 municípios.

Entre as regiões dos municípios localizados no litoral do estado de São Paulo, os que residem próximo à divisa com o estado do Rio de Janeiro mostraram que são mais controlados financeiramente e a maioria da população, 72%, afirma não ter dívidas. O restante, 24% reconhecem que possuem contas atrasadas e 5% não reponderam.

A outra região que aparece com saldo positivo é o Vale do Ribeira, pois 68% dos entrevistados estão com as contas em dia. Por outro lado, 29% ainda precisam acertar dívidas. Os demais, 2% não quiseram responder.

Já a RMBS ficou no vermelho porque a maioria dos munícipes, 56% possuem dívidas atrasadas. Quem possui o controle das economias é representado por 43% dos moradores. Entre os demais consultados, 1% não quis responder.

Um dado em comum da pesquisa IBESPE é que o cartão de crédito aparece como o principal motivo de comprometimento do orçamento familiar. No Vale do Ribeira equivale para 48% dos entrevistados, Litoral Norte 43% e na RMBS 41%.

Na opinião do Diretor Técnico do IBESPE, Cientista Social e Político, Marcelo Di Giuseppe, o novo mapa de abrangência do Instituto mostra de forma evidente como os moradores de cada região são induzidos para consumir. “A Baixada Santista é considerada a principal célula econômica do litoral do estado. Essa região possui uma grande variedade de estabelecimentos (lojas, shoppings) que oferecem facilidades e levam a pessoa gastar cada vez mais. Enquanto as demais regiões (Litoral Norte e Vale do Ribeira) não possuem centros comerciais da dimensão que tem na RMBS”.

Veja a pesquisa abaixo:

Fonte: IBESPE

http://litoralsustentavel.org.br/www.ibespe.com.br/arquivos/clientes/1008/2013/11/endividamento-nov-VMCRLPJ7FV2MCQDD1ABX-143.pdf

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.