Cultura alimentar caiçara e novos hábitos alimentares

Os hábitos alimentares de uma determinada população estão estreitamente associados a fatores socioeconômicos, ambientais e culturais. Nas últimas décadas, a população da região do Litoral de São Paulo vem vivenciando profundas modificações em seu padrão alimentar.

A caracterização do sistema alimentar realizada pelo Projeto Litoral Sustentável identificou alterações na dieta da população com significativas repercussões na saúde, incluindo o crescimento das doenças crônicas, com destaque para o aumento do sobrepeso e da obesidade. Os estudos estão disponíveis no site www.litoralsustentavel.org.br

Embora ainda persista a produção para o autoconsumo, assegurada pela pesca e pela agricultura familiar, o crescimento da urbanização, o aumento da migração impulsionada pela expansão do turismo e pelos grandes empreendimentos de logística e exploração energética vêm provocando alterações estruturais na região.

Tais modificações têm implicado na redução da autonomia local, em uma maior dependência do mercado e na perda de referências da cultura alimentar tradicional. A redução da área ocupada pela população caiçara em função da especulação imobiliária, o aumento da pesca empresarial e a maior facilidade de acesso ao mercado de consumo têm provocado uma maior dependência de alimentos industrializados, produzidos e comprados fora da região.

Estudos realizados em comunidades caiçaras indicam a substituição gradual da alimentação tradicional, em que algumas variedades de plantas e raízes, como inhame e cará, deixam de ser utilizadas, além do pescado, que historicamente vinha garantindo o consumo mínimo de proteína à população, sendo substituído por produtos como a carne bovina e o frango.

Essas mudanças alinham-se às transformações nos hábitos alimentares vividos nas últimas décadas, com a crescente penetração dos produtos industrializados e do fast food, com consequente aumento no consumo de produtos pouco nutritivos, com elevados teores de gordura, de óleos, de açúcar e de sal, em detrimento do consumo de produtos regionais.

Como uma alternativa em direção à obtenção de maior sustentabilidade ao sistema alimentar local, na ótica da alimentação como um direito humano, o Observatório Litoral Sustentável vem colaborando na implantação de Sistemas Municipais e Regionais de Segurança Alimentar e Nutricional (Sisan) com vistas a ampliar as possibilidades de acesso à alimentação adequada e saudável e à melhoria das condições de vida da população.

*Christiane Costa,  é socióloga, doutora em Saúde Pública pela Usp, atual presidente do Conselho Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional de São Paulo e consultora do Observatório Litoral Sustentável.

Artigo originalmente publicado no jornal Diário do Litoral

 

Uma resposta a Cultura alimentar caiçara e novos hábitos alimentares

  1. CaraguaWeb disse:

    Muito interessante esse texto. Vou compartilhar no meu site: http://www.caraguaweb.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *